Normas de Contabilidade
Aplicáveis às empresas de grande porte e obrigadas ao IFRS FULL

Objetivo

Propiciar aos participantes a oportunidade de adquirir e atualizar conhecimentos através de uma abordagem prática, objetiva e interpretativa do conteúdo, direcionado a realidade das empresas e das entidades que se utilizam das normas de contabilidade completas (IFRS FULL), objetivando a sua aplicação no dia a dia da contabilidade.

Público-Alvo

Auditores, Contadores, Controllers, Peritos Contábeis, Professores da área contábil, Estudantes de Contabilidade e demais interessados, que buscam atualização em temas importantes sobre as normas de contabilidade.

Conteúdo

1. ESTRUTURA DAS NORMAS DE CONTABILIDADE

2. COMO INTERPRETAR UM FENÔMENO CONTÁBIL
 Características Qualitativas Fundamentais
• Relevância;
• Representação Fidedigna;
 Características Qualitativas de Melhoria
• Comparabilidade;
• Verificabilidade;
• Tempestividade;
• Compreensibilidade;
• Restrição de Custo;

3. POLÍTICAS CONTÁBEIS E RETIFICAÇÃO DE ERROS
 Objetivo;
 Alcance;
 Definições;
 Políticas contábeis;
• Seleção e aplicação de políticas contábeis;
• Uniformidade de políticas contábeis;
• Mudança nas políticas contábeis;
• Aplicação de mudanças de políticas contábeis;
• Aplicação retrospectiva;
• Limitação à aplicação retrospectiva;
• Divulgação;
 Mudança nas estimativas contábeis;
• Divulgação;
 Retificação de erro;
• Limitação à reapresentação retrospectiva;
• Divulgação de erro de período anterior;
 Impraticabilidade da aplicação e da reapresentação retrospectivas;

4. RECEITA DE CONTRATO COM CLIENTE - NBC TG 47
 Objetivo;
 Alcance;
 Princípio básico;
 Cinco passos da receita de contrato com cliente;
 Primeiro passo: identificar o contrato;
• Combinação de contrato;
• Modificação de contrato;
 Segundo Passo: Identificar as obrigações de desempenho (performance);
• Promessas em contratos com clientes;
• Bens ou serviços distintos;
• Satisfação de obrigação de desempenho;
• Obrigação de desempenho satisfeita ao longo do tempo;
• Obrigação de desempenho satisfeita em momento específico no tempo;
• Mensuração do progresso para satisfação completa de obrigação de desempenho;
• Métodos para a mensuração do progresso;
• Mensuração razoável do progresso;
 Terceiro Passo: Determinar o preço da transação;
• Contraprestação variável;
• Restrição de estimativas de contraprestação variável;
• Passivo de restituição;
• Reavaliação da contraprestação variável;
• Existência de componente de financiamento significativo no contrato;
• Contraprestação não monetária;
• Contraprestação a pagar ao cliente;
 Quarto Passo: Alocar o preço as obrigações de performance;
• Preço de venda individual;
• Alocação de desconto;
• Alocação de contraprestação variável;
• Alteração no preço da transação;
• Custos do contrato;
• Amortização e redução ao valor recuperável;
• Apresentação no balanço patrimonial;
 Quinto Passo: Reconhecer a receita à medida que as obrigações são satisfeitas;
 Aspectos tributários;
• Receita da venda de bens nas operações de conta própria
• Receita da prestação de serviços em geral
• Receitas e Despesas Financeiras
• Receita auferida nas operações de conta alheia
 Divulgação;

5. ARRENDAMENTO MERCANTIL - NBC TG 06 (R3)
 Objetivo;
 Alcance;
 Definição de termos;
 Isenção de reconhecimento;
 Identificação de arrendamento;
• Separação de componentes do contrato;
• Arrendatário;
• Arrendador;
 Prazo do arrendamento;
 Arrendatário;
• Reconhecimento;
• Mensuração;
• Mensuração inicial;
• Mensuração subsequente;
• Apresentação;
• Divulgação;
 Arrendador;
• Classificação de arrendamento;
• Arrendamento financeiro;
• Reconhecimento e mensuração;
 Arrendamento operacional;
• Reconhecimento e mensuração;
• Apresentação;
 Divulgação;
• Arrendamento financeiro;
• Arrendamento operacional;
 Transação de venda e retroarrendamento (sale and leaseback);
• Avaliando se a transferência do ativo é uma venda;
 Aspectos tributários;
• Arrendamento mercantil;
• Pessoa jurídica arrendadora;
• Pessoa jurídica arrendatária;
• Ganho de capital - arrendamento mercantil.

6. ESTOQUES – NBC TG 16 (R2)
 Objetivos;
 Alcance;
 Definições;
 Mensuração de Estoque;
• Custo do estoque;
• Critérios de valoração de estoques;
• Valor realizável líquido;
 Reconhecimento no resultado;
 Aspectos Tributários;
• Determinação dos Custos dos Bens;
• Atividade Imobiliária – Permuta Determinação do Custo e Apuração do lucro;
 Divulgação;

7. ATIVO IMOBILIZADO – NBC TG 27 (R4) – 1:10h
 Objetivo;
 Alcance;
 Definições;
 Reconhecimento;
• Custos iniciais;
• Custos subsequentes;
 Mensuração no reconhecimento;
• Elementos do custo;
• Mensuração do custo;
 Mensuração após o reconhecimento;
• Método do custo;
• Método da reavaliação;
• Depreciação;
• Formalidades dos laudos de avaliação para determinar a vida útil e o valor residual;
• Redução ao valor recuperável de ativos;
• Indenização de perda por desvalorização;
 Baixa;
 Aspectos Tributários;
• Depreciação de Bens do Ativo Imobilizado
• Bens Depreciáveis;
• Quota de Depreciação;
• Taxa Anual de Depreciação;
• Custo de Aquisição de Imobilizado;
• Custos Estimados de Desmontagens;
 Divulgação;

8. ATIVO INTANGÍVEL – NBC TG 04 (R4)
 Objetivo;
 Alcance;
 Definições;
• Ativo intangível;
 Reconhecimento e mensuração;
• Aquisição separada;
• Aquisição como parte de combinação de negócios;
• Aquisição por meio de subvenção ou assistência governamentais;
• Permuta de ativos;
• Ágio derivado da expectativa de rentabilidade futura (goodwill) gerado internamente;
• Ativo intangível gerado internamente;
 Reconhecimento de despesa;
• Despesa anterior não reconhecida como ativo;
 Mensuração após reconhecimento;
• Método de custo;
• Método de reavaliação;
 Vida útil;
 Ativo intangível com vida útil definida;
• Período e método de amortização;
• Valor residual;
• Revisão do período e do método de amortização;
 Ativo intangível com vida útil indefinida;
• Revisão da vida útil;
 Recuperação do valor contábil – perda por redução ao valor recuperável de ativos;
 Baixa e alienação;
 Aspectos Tributários;
• Custo de Aquisição de Intangível;
• Amortização do Intangível;
• Despesas Pré-Operacionais ou Pré-Industriais;
 Divulgação;
• Geral;
• Ativo intangível mensurado após o reconhecimento utilizando o método de reavaliação;
• Gasto com pesquisa e desenvolvimento;

9. PROVISÕES, PASSIVOS E ATIVOS CONTINGENTES – NBC TG 25 (R2)
 Objetivos;
 Alcance;
 Definições;
• Provisão e outros passivos;
• Relação entre provisão e passivo contingente;
 Reconhecimento;
• provisão;
• Passivo contingente;
• Ativo contingente;
 Mensuração;
• Melhor estimativa;
• Risco e incerteza;
• Valor presente;
• Evento futuro;
• Alienação esperada de ativo;
 Reembolso;
 Mudança na provisão;
 Uso de provisão;
 Aplicação de regras de reconhecimento e de mensuração;
• Perda operacional futura;
• Contrato oneroso;
• Reestruturação;
 Aspectos Tributários;
• Provisão para Perdas Prováveis na Realização de Investimentos
• Provisões não dedutíveis
 Divulgação;

10. ATIVO BIOLÓGICO E PRODUTO AGRÍCOLA – NBC TG 29 (R2)
 Objetivos;
 Alcance;
 Definições;
• Definições relacionadas com a área agrícola;
• Definições gerais;
 Reconhecimento e mensuração;
• Ganhos e perdas;
• Incapacidade para mensurar de forma confiável o valor justo;
 Subvenção Governamental;
 Aspectos Tributários;
• Avaliação a Valor Justo;
• Avaliação a Valor Justo - Lucro Presumido para Lucro Real;
 Divulgação; .
• Geral;
• Adicional para ativo biológico cujo valor justo não pode ser mensurado de forma confiável;
• Subvenção governamental;

11. REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVOS – NBC TG 01 (R4)
 Objetivo;
 Alcance;
 Definições;
 Identificação de ativo que pode estar desvalorizado;
 Mensuração do valor recuperável;
• Mensuração do valor recuperável de ativo intangível com vida útil indefinida;
• Valor justo líquido de despesa de venda;
• Valor em uso;
 Reconhecimento e mensuração de perda por desvalorização;
 Unidade geradora de caixa e ágio por expectativa de rentabilidade futura (goodwill);
• Identificação da unidade geradora de caixa a qual um ativo pertence;
• Valor recuperável e valor contábil de unidade geradora de caixa;
• Desvalorização em uma unidade geradora de caixa;
 Reversão de perda por desvalorização;
• Reversão de perda por desvalorização para ativo individual;
• Reversão de perda por desvalorização para uma unidade geradora de caixa;
• Reversão de perda por desvalorização do ágio por expectativa de rentabilidade futura (goodwill);
 Aspectos Tributários;
• Redução ao valor recuperável de ativos;
• Reversão da perda estimada por redução ao valor recuperável de ativos;
 Divulgação;

12. PROPRIEDADE PARA INVESTIMENTO – NBC TG 28 (R4)
 Objetivos;
 Alcance;
 Definições;
 Reconhecimento;
 Mensuração no reconhecimento;
 Mensuração após o reconhecimento;
• Política contábil;
• Método do valor justo;
• Método do custo;
 Transferência;
 Alienação;
 Aspectos Tributários;
• Avaliação a Valor Justo;
• Avaliação a Valor Justo – Lucro Presumido para Lucro Real;
 Divulgação;
• Método do valor justo e método do custo;

13. SUBVENÇÃO E ASSISTÊNCIA GOVERNAMENTAIS – NBC TG 07 (R1)
 Alcance;
 Definições;
 Subvenção governamental;
• Ativo não monetário obtido como subvenção governamental;
• Apresentação da subvenção no balanço patrimonial;
• Apresentação da subvenção na demonstração do resultado;
• Perda da subvenção governamental;
 Assistência governamental;
 Aplicação parcela do imposto de renda devido em fundos de investimento regionais;
 Redução ou isenção de tributo em área incentivada;
 Aspectos tributários;
• Subvenções para investimento de ativos não monetários;
• Contratos de concessões;
• Tributação do Lucro - Ativo Intangível;
• Tributação do Lucro - Ativo Financeiro;
 Divulgação;

14. EVENTO SUBSEQUENTE – NBC TG 24 (R2)
 Objetivo;
 Alcance;
 Definições;
 Reconhecimento e mensuração;
• Evento subsequente ao período contábil a que se referem as demonstrações contábeis que originam ajustes;
• Evento subsequente ao período contábil a que se referem as demonstrações contábeis que não originam ajustes;
• Dividendos;
 Continuidade;
 Divulgação;
• Data de autorização para emissão;
• Atualização da divulgação sobre condições existentes ao final do período a que se referem as demonstrações contábeis;
• Evento subsequente ao período contábil a que se referem as demonstrações contábeis que não originam ajustes;

Saiba mais e inscreva-se

Selecione a cidade desejada ao lado para ver informações sobre datas, investimento e palestrante.